quarta-feira, 24 de junho de 2020

Festa de São João em época de pandemia





Para as queridas Famílias do Jardim Alecrim, amigos e familiares🧚🏽‍♂️

Mais uma festa que passamos em casa com toda a alegria que nos é peculiar!!🔥 São João é uma festa cheia de riquezas, tanto na alegria e comidas, como no ponto de vista simbólico. 🌽🌽🌽🌽

No hemisfério sul, passamos pelo solstício de inverno, quando o Sol atinge seu limite máximo mais no hemisfério norte. Para nós do hemisfério sul, é a noite mais longa do ano, com o maior número de horas de noite, com sol abaixo da linha do horizonte.🌙🌕

Estamos também entrando na estação do Inverno, onde a Terra inicia seu sono, para revitalizar suas forças germinativas e explodir, logo mais, com o colorido da Primavera.🌨️

 Vamos Festejar São João em casa,🎉 com tudo que temos de saboroso e quente, dentro de nós. Segundo Rudolf Steiner, João Batista encerra uma época que a consciência era passada de geração para geração, e abre as portas para aquele que atuará, trazendo consigo a consciência individual. Usando este momento a nosso favor (isolamento),
convido todos vocês  para esse  mergulho invernal, e  festejar com nossas crianças com o Bom, das deliciosas comidas juninas, colocando uma Bela mesa com velas e lanternas. Cantando as lindas canções da época da lanterna e São João e por fim contar uma história da época, para que o alimento da alma seja  levado para o sono com sua verdade.
Para as crianças com menos de três anos, podemos cantar e trazer contos curtos e repetitivos(rítmicos), para as maiores indico contos pouco maiores. Deixo aqui a indicação da história de Juliana, que encontramos no site das Festas Cristãs   💖

Que a chama do amor fique acesa em nossos corações!!🔥♥️ Nos enchendo de saúda e esperança!!


História da Juliana (Silvia Jensen)
  
 
Era uma vez uma menina chamada Juliana. Ela morava com seu pai e sua mãe numa casinha perto da floresta. Juliana tinha muitos amiguinhos e muitos brinquedos. O seu brinquedo preferido era um lindo balão azul. Ela o levava para o quintal e jogava o balão para cima e ele caia para baixo; jogava para cima e ele caia para baixo.
Mas certo dia veio o vento sul, que havia comido muito e por isso estava muito forte e levou o balão da Juliana lá para cima, no céu.
Enquanto o balãozinho subia, os passarinhos cantavam:
“Sobe, sobe, balãozinho
Balãozinho multicor
Vai ser mais uma estrelinha
A alegrar Nosso Senhor”
E Juliana viu seu balão subindo, subindo, e este balão tinha um brilho especial que irradiava do coração de Juliana. Todas as noites ela olhava pela janela do seu quarto e o balão piscava lá no céu. No fundo do seu coração, Juliana sentia saudades do seu balão azul.
Certo dia, ela foi passear na floresta e encontrou um anãozinho de touca vermelha que trabalhava: toc, toc, toc!
Juliana chegou perto dele e perguntou:
- Anãozinho, você acha que meu lindo balão azul vai voltar um dia?
- Ah, espere a noite mais longa do ano chegar, e ela lhe trará uma surpresa!
Juliana correu para casa e perguntou à sua mãe, quando seria a noite mais longa do ano. E sua mãe respondeu:
- espere os dias ficarem mais frios, as noites mais longas e o céu mais estrelado, e quando os anõezinhos acenderem sua fogueira lá na montanha, esta então será a noite mais longa do ano, a noite se São João.
Juliana olhava todas as noites pela janela para ver se os anõezinhos haviam acendido a grande fogueira, e nada acontecia.
Certa manhã Juliana acordou sentindo muito frio, vestiu casaco de lã, meia, luva, gorro e quando a noite chegou, o céu estava todo estrelado e lá longe ela avistou uma pequena chama, lá na montanha dos anõezinhos. Ela apurou bem seus ouvidos e escutou:
“Sobem as chamas, sobem as chamas
Mais alto, mais alto,
Iluminam e alegram
Nossas vidas nossas almas”
E lá do alto do céu ela viu algo brilhante descendo, e os passarinhos cantavam:
“Cai, cai balão, cai, cai, balão,
Na rua do sabão.
Não cai não, não cai não, não cai não,
Cai na mão da Juliana”
Juliana levantou suas mãos para cima e o balão caiu em suas mãozinhas. Dentro dele havia um pozinho brilhante, era o pozinho das estrelas, e quem nele tocasse ficaria conhecendo a alegria de nosso Senhor. E Juliana, muito bondosa, deu um pouquinho do pozinho para seus amiguinhos, para os anõezinhos e para todos os bichinhos que estavam ao seu redor.