terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

Matricula 2018.1



Matrículas para o ano letivo de 2018 ainda abertas, últimas vagas!!

Garanta a vaga do seu filho!!!!

Nosso Jardim Alecrim está recebendo novas sementinhas para florescerem em nossos canteiros cheios de alegria!

Venha conhecer nosso espaço.

Marque um horário conosco.
#jardimalecrimrecife #pedagogiawaldorf #matriculasabertas #waldorf #recifewaldorf #antroposofia

quinta-feira, 4 de janeiro de 2018



Colônia de Férias Janeiro/2018 - Orientações Gerais

·       Dias: 08 a 26/01/2018
·       Horário: 13:00h às 17:30h
·       Faixa etária: 3 anos a 7 anos
·       Valores:
ü R$ 250,00 (semana);
ü R$ 70,00 (turno da tarde).

Local:
Jardim Alecrim Recife
Rua Jacó Velosino, 101 – Casa Forte
Fone: 81-3071-4247

Lista de material individual:

ü 1 bolsa sem mídia contendo 1 toalha de banho;
ü 1 pente ou escova de cabelo;
ü 1 Boné ou chapéu;
ü 1 Muda de roupa;
ü 1 saco de plástico para roupas sujas;
ü 1 camisa usada (velha) branca para pintura.


Obs. 1.: Todos os materiais deverão estar marcados com o nome da criança.

Obs. 2: Não será permitida a utilização de brinquedos (de casa) pela criança.

Obs. 3: A tolerância de espera na saída será de trinta minutos. Implicando em taxa extra (R$ 10,00), que será revertido para nosso funcionário.


Profissionais:
  • Adriana Marques (Professora)
  • Paula Adriana (Auxiliar)



HORÁRIOS
Sugestão de ritmo:
113:00 as 14:00 horas: culinária
14:00 as 15:00 horas: brincadeiras
15:00 as 15:30 horas: lanche1
15:30 as 16:30 horas: atividades artísticas
16:30 as 17:00 horas: banho (se necessário)
17:10 as 17:30 horas: contação de história

CARDÁPIO
Segunda-feira
Cuscuz com manjericão e azeite / (suco).

Terça-feira
Aveia com banana / (suco).

Quarta –feira
Pão com geleia, azeite ou manteiga / (suco).

Quinta-feira
Tapioca de queijo coalho ou vento / (suco).

Sexta-feira
Inhame ou macaxeira com manteiga ou azeite / (suco).



ATIVIDADES PARA O PARQUE E SALA:

Brincadeiras de pega (esconder, macaco...);
Rabo do macaco (um rabo de tigre preso no short das crianças e um uma outra criança tem que pegar todos os rabos.);
Cabo de guerra;
Boca de forno;
Corridas (de saco de carrinho de mão, de um pé só ...);
Morto vivo;
Danças das cadeiras;
Corrida de colher (correr com uma laranja na colher);
Estatua;
Quente ou frio (esconder um objeto até ser encontrado);
Passar anel;
Cabra cega |corre cutia;
Sardinha;
Batatinha frita 123;
Culinária – Todos os dias farão o lanche com a professora;
Pipa;
Modelagem (massinha natural/argila).
Pintura (estampa livre uma camisa trazida de casa);
Pular corda;
Banho de mangueira?
Jardinagem/horta;
Brincadeira de túnel;
Bolinha de sabão.


Essas são algumas das sugestões de atividades que as professoras podem promover com as crianças.

quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Matricula 2018.1 ninho

Em 2017 nasceu uma novo proposta no Recife: O primeiro berçário Antroposófico da cidade. Uma iniciativa do Jardim Alecrim situado no bairro de Casa Forte.



Para o ano de 2018 os nossos bebês do "Ninho" apresentaram seus primeiros saltos, o que nos leva a montar mais uma sala, desta vez com crianças a partir de 6 meses de idade.



O Jardim Alecrim receberá você e sua família com grande alegria!


Ligue e marque sua visita, 3071-4247


#jardimalecrimrecife #ninho #pedagogiawaldorf #educacaoinfantil #berçário #bercario.

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

E a primavera chegou, filha!
Aprendemos com a pedagogia Waldorf a importância de celebrar as estações do ano e observar as mensagens que elas nos trazem.
Vivenciamos a Páscoa — no outono — através dos olhares curiosos das crianças, com contos e símbolos cheios de significado, nos fazendo refletir sobre morte, vida, transformação e amor.
Depois celebramos a chegada do inverno com a festa da lanterna e a festa junina. Percebemos a introspecção que surge junto com a chuva, a calmaria e a reflexão. O frio e a necessidade de buscar nossa luz interior, de nos aproximar de quem amamos.
Agora estamos nos preparando para celebrar com muita alegria a vitória da luz sobre a escuridão, ou seja, a passagem pelo inverno frio e a chegada da primavera fértil.
Vamos colher flores coloridas e perfumadas e fazer belas coroas para enfeitar os cabelos das nossas crianças!
Vamos comemorar a vida que surge e o amor que se multiplica!
Gabriela Campos, mãe de Mariana do maternal.

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Jardim Alecrim começa a receber bebês em 2017


O Jardim Alecrim Recife está com matrículas abertas para crianças a partir de 9 meses a 6 anos em turmas pela manhã e à tarde. Inspirado na Pedagogia Waldorf, o espaço, localizado em Casa Forte, proporciona à criança pequena uma rotina saudável, assemelhando-se ao ambiente de um lar repleto de calor e segurança. Para 2017, há também a possibilidade de abertura de um berçário. As famílias interessadas devem entrar em contato com a escola.
“Desenvolvemos um trabalho de respeito ao ser criança. Observamos que o incentivo precoce à leitura, escrita e o contato com mídias digitais são comuns em muitos espaços pedagógicos, sendo, no entanto, prejudiciais à saúde do indivíduo que está em processo de maturação do sistema neural e emocional. Priorizamos o brincar livre, o estímulo à fantasia e à imaginação, além do contato com a arte e a natureza”, pontua a fonoaudióloga, pedagoga waldorf, terapeuta familiar sistêmica e fundadora do Jardim Alecrim Recife, Janise Paiva.
Primeiro Setênio
De acordo com a Pedagogia Waldorf, desenvolvida, em 1919, pelo filósofo austríaco Rudolf Steiner, a criança até os sete anos de idade está, principalmente, desenvolvendo seu corpo físico. Por isso, a metodologia proporciona atividades físicas ligadas ao brincar na primeira infância.
“É como se você construísse uma casa começando pelo telhado e esquecesse de firmar a base. Mal a criança aprende a andar, falar e pensar, já está precisando lidar com um monte de símbolos e tarefas desconexas com seus interesses. Ela ainda não está pronta para um código frio, sem vida como linguagem escrita. Precisa crescer, firmar seu corpo, dominar a linguagem oral, fortalecer seu alicerce, para, aí sim, continuar o processo de alfabetização”, afirma.
Janise explica ainda que é preciso dar vasão à curiosidade dos pequenos. “Eles vão querer decifrar os códigos que só adultos e crianças maiores sabem. No mundo existem letras por todos os lugares por onde nossas crianças passam. Quando ela está pronta, madura, ela mesma sente vontade de saber o que significam aqueles símbolos. Ler é como amar, quando estamos prontos acontece “, reforça Janise.
O Jardim Alecrim fica na Rua Jaco Velosino, 101, em Casa Forte, no Recife. AGORA COM NOVO ENDEREÇO.
MAIS INFORMAÇÕES
E-mail: jardimalecrimrecife@gmail.com
Fone: (81) 3071.4247
Sitewww.jardimalecrim.com
FanPage: https://www.facebook.com/Jardim-Alecrim-Recife-272245776182376/?fref=ts

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Matrículas Abertas




O Jardim Alecrim Recife tem como compromisso pedagógico facilitar o desenvolvimento integral da criança, respeitando seu ritmo e necessidades fundamentais.
Em um ambiente que inspira confiança e acolhimento, as crianças compartilham uma alimentação saudável e vivenciam uma rotina repleta de significado e magia.
Por meio de atividades artísticas, do ouvir estórias e do brincar livre, a criança é convidada diariamente a experimentar o mundo, possibilitando o exercício da vontade e da autoconfiança.

Estamos com as portas e janelas abertas, venha nos conhecer!   

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Preparação para o Natal!

No sábado (5), tivemos um mutirão muito especial no Alecrim. Estudamos sobre a origem da árvore de Natal e trabalhamos na construção de algumas bolas repletas de significado: "a maçã, cujo receptáculo da flor tornou carnuda e perfumada, mantendo consistência firme, na Antiguidade assumiu a representação da esfera terrestre, generosa, altruísta, para alimentar outras formas de vida". Vejam mais no artigo que encontramos no site da Weleda:


e onde vem a idéia de enfeitar o pinheiro com luzes e esferas
vermelhas? Como era uma árvore de Natal antigamente? O resgate do significado das tradições é algo fundamental, uma vez que um sentido maior pode ser revivido a cada ano; uma renovação rítmica a cada solstício de inverno no hemisfério norte é comemorada desde os tempos pré-cristãos. O solstício de inverno significa o dia do ano com maior tempo de escuridão e menor tempo de luz, ou seja, dia 23 de dezembro, e desde tempos antigos esse dia foi consagrado como um dia especial, quando a luz interior, uma luz especial deveria ser acesa no interior do ser humano, no dia de menor luz exterior.
Segundo o filósofo Rudolf Steiner (1861- 1925), a árvore de Natal corresponde a uma fusão de duas árvores, ou melhor, de duas famílias botânicas: uma conífera, especialmente o pinheiro, e uma rosácea, especialmente a macieira e a roseira. As coníferas correspondem às árvores mais antigas de nosso planeta. Ainda antes dos dinossauros, no período geológico carbonífero, existiam essas árvores de sementes nuas (as pinhas), literalmente gimnospermas, representando até hoje as árvores de maior longevidade. Exemplos impressionantes são a sequóia californiana, de 3.212 anos, e o Pinus aristata, de 4.600 anos. Essas árvores significam vida, representam a ÁRVORE DA VIDA. As rosáceas, bem mais recentes, já no período terciário dos mamíferos gigantes, correspondem às angiospermas modernas. Essa família se caracteriza, por um lado, pela sua enorme dureza e formação de acúleos e espinhos; por outro, pela sua intensa formação
nas estrelas”, além de ser também um pentagrama.
A maçã, cujo receptáculo da flor tornou carnuda e perfumada, mantendo consistência firme, na Antiguidade assumiu a representação da esfera terrestre, generosa, altruísta, para alimentar outras formas de vida. A macieira representou tanto o desenvolvimento humano que seu nome em latim é Mali, a ÁRVORE DO CONHECIMENTO DO BEM E DO MAL.
Integrar a ÁRVORE DA VIDA com a ÁRVORE DO CONHECIMENTO – eis o significado da ÁRVORE DE NATAL. No início da era cristã, a árvore de Natal recebeu sua orientação final, uma vez que hoje ela parece desorientada nos shopping centers das grandes cidades.
A receita tradicional para montar uma árvore de Natal é: um pinheiro (ou parte dele), 33 maçãs, 33 rosas (30 vermelhas e 3 brancas), 33 velas com seus suportes e os símbolos dos planetas.
Idealmente, ela é enfeitada na véspera, coberta com um véu. Na noite de Natal, o véu é retirado, as 33 velas são acesas na luz apagada e se comemora o Natal à luz de velas.
Um ambiente maravilhoso se cria ao redor dessa árvore cheia de significados. Os 33 frutos das rosáceas e as 33 velas representam os 33 anos de vida de Jesus Cristo, sendo que as três rosas brancas, colocadas no alto da árvore, correspondem aos três últimos anos após o batismo, anos de intenso desenvolvimento humano. Os planetas significam a ponte entre a Terra e o Cosmo.
A modernidade da árvore de Natal se esconde em seu maior significado, ou seja, a busca da integração de um
de néctar nas flores e frutos, revelando uma forte conexão com a Terra e com o Cosmo. Por essa razão e pela estrutura das sépalas, pétalas e sementes na forma de uma estrela de cinco pontas, as rosáceas representam o SER HUMANO. Segundo Steiner, o ser humano é "aquele que possui o pé no chão e a cabeça
estilo de vida que una a VIDA (alimentação, atividade física, vida social, lazer) com o CONHECIMENTO (vida estudantil, vida profissional, responsabilidades) num ritmo que integre o profano e o sagrado a cada dia. FELIZ NATAL!!!
Ricardo Ghelman
Médico Antroposófico e de Família








quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Festa da Primavera 2016

Celebramos no dia 22 de outubro, na escola Aquarela, em Aldeia, a nossa festa da Primavera. Um momento luminoso onde contemplamos com as crianças as flores e cores que enfeitam a natureza e nos vestimos com a beleza que floresce nessa época do ano.
Recebemos os belos cliques do nosso parceiro e pai da escola Lamartiny Santos.





















quinta-feira, 20 de outubro de 2016

A importância do brincar na aprendizagem

“Dize-me como brincas e te direi... como tu és”.


Há algum tempo atuando na clínica psicopedagógica, percebo a necessidade de refletir com os pais, educadores, e outros interessados a importância do brincar na construção do conhecimento. As brincadeiras fazem parte do patrimônio lúdico-cultural, traduzindo valores, costumes, formas de pensamentos e aprendizagens. O brincar fornece à criança a possibilidade de ser um sujeito ativo, construtor do seu próprio conhecimento, alcançando progressivos graus de autonomia frente às estimulações do seu ambiente. É dentro desse contexto, que o lúdico possibilita o falar, o ouvir, a livre escolha, a criatividade, a cura, a transformação...
Na Pedagogia Waldorf, criada pelo filósofo austríaco Rudolf Steiner (1861-1925), o brincar é o principal conteúdo na pré-escola. Desse modo, a criança desde pequena vivencia ricamente a sua imaginação e a fantasia, através das brincadeiras de roda, bonecas de pano, contos de fada, além de pintar, modelar, cantar; dentre outras atividades, que são importantes elementos para a formação das forças criadoras da personalidade. Para Heydebrand (1996),“deveríamos evitar nessa idade toda atividade intelectual; e não-artística, de caráter abstrato e alheia à vida real’’. Por meio do brincar, as crianças exploram o mundo com todos os seus sentidos e desenvolvem as primeiras noções de espaço, tempo, textura, temperatura, forma e consistência. Alguns estudos neurofisiológicos relatam que a formação do cérebro e a ampliação do número de sinapses (conexões nervosas) são estimuladas pelo processo natural de brincar.
Segundo Kishimoto (2000), pesquisadora da USP e autora de diversos livros sobre Jogos e Educação Infantil, “a criança procura o jogo como uma necessidade e não como uma distração... (...) É pelo jogo que a criança se revela. As suas inclinações boas ou más, a sua vocação, as suas habilidades, o seu caráter, tudo que ela traz latente no seu eu em formação, torna-se visível pelo jogo e pelos brinquedos que ela executa”.
Certo dia lendo a revista Veja, psicólogos e educadores discutiam sobre o tema, e achei bem oportuno, algumas questões abordadas por eles. Pesquisas americanas afirmam que as crianças educadas precocemente demonstram menos criatividade e menos entusiasmo pela aprendizagem, ocasionando muitas vezes, stress e depressão infantil. Elas alertam ainda, que as crianças precisam ter mais tempo livre para rir ou mesmo para o ócio, e que brincadeiras simples como caça ao tesouro, desenvolvem mais o raciocínio e podem aprimorar a alfabetização, a matemática e outros tipos de conhecimentos.
Por vivermos numa cultura predominantemente tecnológica, percebemos que a criança está perdendo a sua capacidade original de brincar, e em conseqüência disso observo que muitas das dificuldades de aprendizagens estão associadas a estes fatores, pois segundo Oliveira (2007), “a atividade lúdica revela-se como instrumento facilitador da aprendizagem, possuindo valor educacional intrínseco, criando condições para que a criança explore seus movimentos, manipule materiais diversos, interaja com seus colegas e resolva situações-problema”.
No trabalho psicopedagógico, observo algumas crianças apáticas e desinteressadas que brincam pouco e são muito endurecidas tanto física quanto psiquicamente. Elas apresentam dificuldades em se expressar de forma criativa, e de se reconhecerem autoras de suas produções.  Outras crianças, incansavelmente querem brincar, mas não conseguem, por excesso de tarefas ou pela ausência de conhecimento dos pais sobre o assunto.
Para que o processo de aprendizagem seja real e objetivamente eficaz, é imprescindível ampliar nossos conhecimentos a esse respeito, e esclarecer aos pais, educadores, e pessoas afins, a importância do brincar na sua essência, como fator decisivo para o desenvolvimento humano, e não apenas como mera discussão intelectual, ou como “coisa do passado”.
Convido você leitor a repensar seus conceitos sobre o assunto: O que eu entendo sobre o brincar? Como foi a minha infância? Como é a de meus filhos? E a escola, tem permitido que os professores brinquem?  E os alunos?  O que esperar do futuro, se as crianças hoje entram para a escola precocemente?
É de fundamental importância, tomarmos consciência de que a atividade lúdica é uma necessidade da criança, que propicia o seu desenvolvimento físico-motor, emocional, cognitivo e afetivo. Brincando a criança ordena o mundo à sua volta, assimilando experiências e informações, incorporando atividades e valores. O brincar permite que o aprendiz tenha mais liberdade de pensar e de criar para desenvolver-se plenamente.
Em síntese, brincar é aprender, aprender é brincar (deveria ser, pelo menos)...
É conectar-se com o prazer de ser autor, é tornar-se mais humano...
Escrito por Lílian de Almeida P. B. Sá
Pedagoga e Psicopedagoga
Formação em Pedagogia Waldorf, Arte-Educação e Socioterapia


segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Festa da Pipa 2016

Em agosto, mês dos ventos, tivemos a nossa festa da Pipa! 
Anéis de vento, pipas de todas as cores e formatos fluíram no vento com muita música, beleza e comunhão! 

O Parque Santana nos acolheu e nós retribuímos com nossa alegria, cores e sons!!! 
 
"Vento frio, vento da manhã...
Vento que leva a mensagem de amor!
Leva a todo o povo a paz, sim, leva!"