terça-feira, 18 de novembro de 2014

Matrículas Abertas 2015!


O Jardim Alecrim Recife está com matrículas abertas para 2015!


Nossas portas e janelas estão abertas para te receber! Venha nos conhecer! 

Maiores informações:
Endereço: Rua Silveira Lobo, 107, Casa Forte - Recife/PE
Contato: (81)30311134 / jardimalecrimrecife@gmail.com

Início das aulas: 03 Fev/2015

Programação Bazar de Natal do Alecrim!

Com o objetivo de fortalecer e florescer ainda mais o nosso Jardim, pais, mães e professoras se unem, uma vez mais, na construção e realização de mais um Bazar de Natal! Convidem as pessoas amigas e venham dividir conosco essa alegria!

Esperamos vocês!

*O Bazar de Natal é um evento anual, tradicional das escolas Waldorf, construído por toda comunidade escolar. Toda a renda arrecadada é destinada para melhoria e manutenção da nossa escola.




PROGRAMAÇÃO
10h – Abertura
11h às 12h  – Yoga para crianças a partir de 6 anos (com Valéria Pimentel) 
11h às 12h – Roda de Conversa: “Os desafios da Amamentação e do Desmame” (com Mariana Portela – Doula / Grupo Boa Hora e Marcelle Guimarães/ Enfermeira Obstetra)
14h às 15h – Grupo Infantil Sol Menores (Apresentação musical)
15h às 16h – “E depois da Escola Waldorf?” (Conversando com ex-alunos Waldorf, pais, mães e professoras)
16h às 16h20 – Apresentação de Mágicas (com Haydon Peter)
16h30 às 16h50 – Teatro de Bonecos
17h – Sorteio da rifa e Encerramento

E mais...
Das 10h às 17h:
+Cantina (Almoço e Lanches saborosos);
+ Sebo e Brechó (Roupas Infantil e Adulto, acessórios e outras coisas mais!)
+ Artesanato (Brinquedos, Artigos natalinos e outros lindos presentes!)


*Durante o Bazar rifaremos um artesanato muito especial, feito pelas mães do Jardim Alecrim Recife!

** Traga a sua caneca! Vamos evitar o consumo de descartáveis!

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Bazar de Natal do Alecrim │ Sáb 22.11 │ 10h às 17h

Está chegando a hora!
Convidem as pessoas amigas e venham participar do Bazar de Natal do Alecrim, um evento preparado por muitas mãos e corações!



Em breve divulgaremos a programação completa do evento!

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Ao poeta!

Nosso grande poeta silencia, despedindo-se, enfim, desta vida. Nascerá em árvore, em flor, em canto de passarinho. E será eterno como poesia. 



"Prezo insetos mais que aviões.
Prezo a velocidade
das tartarugas
mais que a dos mísseis.
Tenho em mim
esse atraso de nascença.
Eu fui aparelhado
para gostar de passarinhos.
Tenho abundância
de ser feliz por isso.
Meu quintal
É maior do que o mundo."

Manoel de Barros 
(19 de Dezembro de 1916 — 13 de Novembro de 2014)

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Arte de ser criança (Por Frei Betto)

"Privar a criança do mergulho no mistério, do ócio acalentador, do tempo em que ela nem sonha em crescer é, afinal, amputá-la da infância."



Quando eu era aluno do Jardim de Infância Bueno Brandão, em Belo Horizonte, em minha sala de aula não havia carteiras, apenas umas tantas mesas de pernas curtas - adequadas a minha estatura - e cadeiras liliputianas.

Nossas tarefas consistiam em sonhar, imaginar, rabiscar, desenhar, moldar em argila estranhas figuras, colorir com aquarela e empilhar cubos de madeira, que, sobrepostos, se transformavam em casas, pontes, prédios e castelos. Dispostos em linha reta, viravam ferrovias, carruagens, estradas. Em círculos, arenas circenses, represas ou lagos.

Encantava-me recortar cartolinas na forma de casas e colá-las -fazíamos grude com farinha de trigo e água-, pois tinha certeza de que, à semelhança de meu tio Paulo, quando crescesse eu seria um arquiteto. Esse entrelaçar de tato, visão e imaginação organizava o meu mundo interior. Bastavam poucos apetrechos para que os meus sentimentos encontrassem expressão nos objetos que eu manipulava ou nas linhas de meus desenhos.


Eles adquiriam uma certa distância relacional: eu era eu, meus pais eram meus pais, a babá era a babá; as árvores das ruas, coisas que tinham uma forma diferente de vida da minha; os pássaros falavam linguagens que só eles entendiam; e dragões, bruxas e duendes, que povoavam o meu imaginário, não eram pessoas como meus pais nem coisas como os paralelepípedos, que calçavam as ruas do bairro, e sim entidades espirituais, como Deus e os anjos, que eu venerava e com as quais mantinha uma relação de temor, reverência e fascínio.

O melhor da infância é o mistério. Povoa a criança com uma força imponderável, superior a todas as realidades sensíveis. O mistério seduz e, tecido em encantos, assusta ou atrai ao não mostrar o rosto nem pronunciar o próprio nome. Habita aquela zona da imaginação infantil tão indevassável quanto impronunciável. Nela, as conexões rompem limites e barreiras, o inconsciente transborda sobre o consciente e o sobrenatural confunde-se com o natural.

O divino permeia o humano e o insólito, como dragões e piratas; é de uma concretude que só a cegueira dos adultos é incapaz de enxergar.

Os adultos devem manter-se à distância quando a criança se encontra mergulhada em seu universo onírico. Ela sabe que carrega em si um tesouro de percepções que os olhos alheios não podem perscrutar. Recolhida a um canto, deitada em sua cama ou brincando em companhia de seus pares, ela deixa fluir os seres virtuais que habitam o seu espírito e com quem estabelece um diálogo íntimo, livre das amarras do tempo e do espaço. Tudo flutua dentro dela, graças à ausência de gravidade que a caracteriza.


Se um adulto interfere, quebra-se o encanto, apaga-se a volatilidade que a transporta a um hemisfério que não cabe na lógica adulta. O real emerge com sua implacável geometria, onde as coisas carecem de estruturas flexíveis. A vida empobrece, desprovida de colorido. Tudo se torna pesadamente aritmético, como se a ave, aprisionada ao chão, ficasse impedida até mesmo de sonhar com o voo, reduzida aos movimentos contidos de seus passos.

Por tanta familiaridade com o mistério, as crianças são naturalmente religiosas, como se a natureza suprisse quem se encontra biologicamente mais próximo da fonte da vida de percepções holísticas contidas na vitalidade das células, na mecânica das moléculas, na identidade quântica dos átomos, onde matéria e energia são apenas faces de uma mesma realidade.

Privar a criança do mergulho no mistério, do ócio acalentador, do tempo em que ela nem sonha em crescer -seja pela penúria material, seja pelo peso esmagador da racionalidade, seja pelo trabalho precoce, seja pelo excesso de exposição à TV, que rouba-lhe os sonhos- é, afinal, amputá-la da infância.

É mutilar o ser, abortando a criança para apressar, de modo cruel, a irrupção irreversível do adulto. Ao sorriso sucede o travo amargo de quem já não logra mirar a vida como maravilha -dentro e fora de si. A insegurança aflora, denunciando carências e tornando-as vulneráveis aos sonhos químicos das drogas, já que o melhor da infância foi sonegado: sentir-se um ser amado.

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Sábado de Mutirão no Alecrim

"Mãos que abençoam e fazem o bem;
Mãos que trabalham e não se detêm;
Mãos que amorosas os fracos amparam;
Mãos sim, que rezam e sempre rezaram;
Mãos que se elevam num gesto profundo;
É destas mãos que precisam o mundo."

Rudolf Steiner











Encontro Nordeste de Micael

Nos dias 10, 11 e 12 de outubro, aconteceu o V Encontro Nordeste de Micael em Recife - Pernambuco. O evento, organizado pelo Jardim Alecrim Recife e o Jardim Maturi, com o apoio da Escola Mater Christi e da Escola Waldorf Recife, teve como tema central: “Os impactos dos meios eletrônicos na educação: o que fazer em casa e na escola?” e contou com a participação de um público variado, composto de pais, mães, professores e outros profissionais. Ao longo desses três dias, foram desenvolvidas palestras com o professor Valdemar Setzer, renomado estudioso da temática central do evento. Além disso, na programação constou uma mesa redonda com profissionais da área de saúde e representante do Movimento Infância Livre do Consumismo, que contribuiu para enriquecer ainda mais o debate. Também foram oferecidas oficinas de conteúdos lúdicos e artísticos com profissionais da área de educação e arte-educação.
A comissão organizadora expressa, uma vez mais, o seu profundo agradecimento à Escola Mater Christi e à Escola Waldorf Recife pelo apoio. Este agradecimento é estendido aos/às profissionais que abrilhantaram este Encontro e às pessoas que contribuíram de forma direta e indireta para que o mesmo acontecesse.
Um abraço fraterno,
Comissão Organizadora do V Encontro Nordeste de Micael  (Nov/2014)
Apresentação das crianças do Ens. Fundamental da Escola Waldorf Recife


Palestra de Abertura com o Prof. Valdemar Setzer

"Acolhimento e Bom dia"


Oficina (Brincar)


Oficina (Trabalhos Manuais)



Oficina (Arte no segundo setênio/Carimbos)






Mesa redonda 

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

O Jardim Maturi promove!

Enquanto as mãos cortam, enrolam, costuram, 
o coração e o pensamento passeiam 
em sentimentos e reflexões sobre 
a configuração familiar na contemporaneidade. 



- - -

A Família Contemporânea - oficina teórico-prática com Nina Veiga

Buscaremos afirmar a potência das relações e, deste modo, favorecer um modo de existir saudável que busca evitar a perpetuação de conceitos aprisionantes. Falaremos também sobre a concepção estética dos pequenos bonecos flexíveis e suas características para o brincar.

Nossa oficina fornece todo o material e cada participante faz uma família com 4 personagens articulados e um bebê. Não é somente uma oficina técnica, pois associa, segundo a abordagem antroposófica, o pensar e o sentir ao processo da confecção (fazer). O embasamento teórico é ampliado pela antroposofia.

Objetivos:
> Possibilitar o contato com a concepção estética Waldorf do brinquedo.
> Conversar sobre os desafios da família contemporânea.
> Trabalhar a sensibilização manual através da construção de bonecos.
> Confeccionar uma família flexível  inspirada na Educação Waldorf com quatro personagens entre 12 e 15 cm e um bebê.

Data: 1, 2, 3 e 4 de dezembro de 2014.
Horário: De segunda à quinta, das 18h às 22h.
Duração: 20 horas/aula, sendo 16 horas presenciais + 4 horas apostiladas.


Inscrições abertas!

Local: Associação MATURI - Alto da Sé, Olinda, PE
Inscriçõesjardimmaturi@gmail.com | 81.9672.4969 | 8875.9230
Valor: R$ 400 (R$ 350 até 15/11) 
Oferecemosmaterial completo, instruções impressas e moldes, certificado

Informações pedagógicas com Nina Veiganinaveiga@ninaveiga.com.br

DocenteAna Lygia Vieira Schil da [Nina] Veiga é escritora e educadora Waldorf, com oficinas e workshops ministrados em Londres, Portugal, Suíça, Uruguay e de Norte a Sul do Brasil. Está a doutorar-se em Educação pela UFJF e Universidade de Lisboa. É pesquisadora do IELT, Instituto de Estudos da Literatura Tradicional da Universidade Nova de Lisboa, onde realiza pesquisa junto às artes manuais e o brincar.  É mestre em Cultura e Linguagem, psicopedagoga artística. Especialista em Docência do Ensino Superior. Desenvolve trabalhos de formação pessoal, especialmente com professores. Dá apoio educacional a pais e instituições. Oferece suporte a bonequeiras que queiram se tornar profissionais no Brasil e no exterior. O Nina Veiga Atelier promove geração de renda junto a mulheres em home office, dentro do conceito de comércio justo. Cria brinquedos inspirados no conhecimento antroposófico, levando em conta a imagem ampliada do ser humano e as necessidades da criança contemporânea. Investe na valorização do trabalho manual em contato com materiais e  concepções que possibilitem a composição de uma ética, de uma estética e uma política da vida viva. 

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Documentário "Tarja Branca: a revolução que faltava" │Sessões QUA 29.10 e QUI 06.11

É com alegria que o Jardim Maturi, o Centro de Cultura Luiz Freire a Escola Waldorf Recife convidam a tod@s para exibição deste filme tocante:



TARJA BRANCA, A REVOLUÇÃO QUE FALTAVA.

O ato do brincar e do espírito lúdico. Brincar é um dos atos mais ancestrais desenvolvidos pelo homem, tanto para se conhecer melhor quanto para e se relacionar com o mundo. Mas o que esse ato tão primordial pode revelar sobre nós, seres humanos, e sobre o mundo em que vivemos?

Por meio de reflexões de adultos de gerações, origens e profissões diferentes, o novo documentário da Maria Farinha Filmes (também produtora dos imperdíveis Muito Além do Peso, Criança: a Alma do Negócio e A Educação Proibida, entre outros), discorre com pluralidade sobre o conceito de “espírito lúdico”, tão fundamental à natureza humana, e sobre como o homem contemporâneo se relaciona com esse espírito tão essencial.


Em Pernambuco, duas sessões regadas a pipoca e seguidas de roda de conversa!!! 
QUARTA, 29/10 - 19h30

No Centro de Cultura Luiz Freire, Olinda.

Rua 27 de Janeiro, 181 - Carmo - Olinda - 3301.5242


QUINTA, 06/11 - 19h30

Na Escola Waldorf Recife, Recife.

Rua Regueira Costa, 166 - Rosarinho - Recife - 3441.0703


Tragam as canecas e vamos brincar, que é o melhor remédio!!!





TARJA BRANCA, A REVOLUÇÃO QUE FALTAVA.
Documentário. Brasil, 2014. 80 minutos. Direção: Cacau Rhoden. Livre.

Mais informações: 81.9602.8671

"Vem de um lugar chamado Flores, esta ciranda, de tantas cores..."

No sábado, dia 25, o Jardim Alecrim Recife festejou a chegada das flores!
O dia amanheceu lindo! O céu azul e o sol grandioso convidavam para a grande festa: a Festa das Flores! 

A melodia dos pássaros e o colorido das flores permearam este belo e feliz encontro!
Agradecemos a todas as pessoas que vieram, de todos os cantos, compor esta grande roda!

Um forte abraço e feliz primavera!



A semente
(Ruth Salles)

Semente misteriosa,
que da planta cai no chão,
que segredos ela guarda
no fundo do coração?
"Eu sou o menor presente
que foi posto em tua mão,
pois parece não ser nada
este pequenino grão.
Mas dele verás crescer,
numa fecunda estação,
uma árvore frondosa
subindo para a amplidão!
Toda a árvore, guardada
dentro do pequeno grão,
esperava o bom momento
para enfim se erguer do chão.
Vale mais que muita joia
- como percebes então -
o presente pequenino
que foi posto em sua mão."